VOCÊ SABIA? SANTA TERESINHA TAMBÉM PASSOU POR UMA PANDEMIA

VOCÊ SABIA QUE QUANDO SANTA TERESINHA ESTAVA NO CARMELO ELA TAMBEM ENFRENTOU UMA PANDEMIA?

“A morte reinava em toda parte” descreveu Santa Teresinha do Menino Jesus sobre o terrível inverno de 1891 a 1892 no Carmelo de Lisieux, no curso do qual a comunidade não foi poupada pela epidemia de gripe russa, que fez mais de um milhão de vítimas por todo o mundo entre 1889 e 1895.

Veja o que Santa Teresinha nos conta em “História de uma alma”, a narração autobiográfica da pequena Teresa:

“Um mês após a partida da nossa Santa Madre, a gripe se manifesta dentro da comunidade, eu estava só, de pé com duas outras irmãs, jamais poderei dizer tudo que vi, o que me pareceu a vida e tudo que se passou. O dia de meus 19 anos foi festejado por uma morte, logo seguida de duas outras. Nesta época eu estava só na Sacristia, a irmã primeira responsável pelo trabalho, estando muito doente, era eu que devia preparar os enterros, abrir as grades do coro para a missa, etc.

O Bom Deus me deu, de boa vontade, forças para esse momento, eu me pergunto agora como eu pude fazer sem medo tudo o que fiz; a morte reinava por toda parte, as mais doentes eram cuidadas por aquelas que mal se arrastavam, logo que uma irmã dava o último suspiro nós éramos obrigados a deixá-la só.

Todo o tempo que a comunidade foi desta forma provada, eu pude ter a inefável consolação de fazer todos os dias a Santa Comunhão….Ah! Como era doce! Jesus me mimou muito tempo, muito mais tempo que suas fiéis esposas, pois ele permitiu que me dessem-No sem que os outros tivessem a felicidade de recebe-Lo.

Eu não posso dizer que tenha frequentemente recebido consolações durante minhas ações de graças, é talvez o momento que eu as tive menos. Eu achei natural, uma vez que eu me ofereci a Jesus não como uma pessoa que deseja receber sua visita para sua própria consolação, mas ao contrário, para o prazer Dele que se doa a mim”.

 (HISTÓRIA DE UMA ALMA – Manuscrito A, 79r-79v)

Evangelize compartilhando:

Deixe um comentário